MNOAL convoca Organização para a Cooperação Islâmica a avançar unidos rumo à paz

Foto: Presidência da República

Caracas, 11 Sep. AVN.- O Movimento dos Países Não Alinhados (MNOAL) ratificou neste domingo ante a Organização para a Cooperação Islâmica (OIC, na sigla em inglês) a necessidade de avançar unidos para alcançar a justiça e a paz a favor dos povos do mundo.

O presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, em nome do movimento que integra 120 nações da África, Ásia, Europa Oriental e da América Latina e o Caribe, e que preside desde 2016, defendeu o diálogo profundo de cultura, civilização e religiões.

"É tempo de lutar por outro mundo; é tempo de lutar por um mundo sem guerra, sem terrorismo, sem império hegemônico. É tempo de lutar por um mundo possível, por um mundo necessário onde todos possamos compartilhar a única razão de existência, que é a existência humana. Só unidos, o Movimento dos Países Não Alinhados e a Organização para a Cooperação Islâmica, poderão avançar nestes sonhos e grandes objetivos de justiça e de paz", disse em seu discurso na cúpula da OIC celebrada em Astana, Cazaquistão.

Maduro espera que a reunião fortaleça ainda mais as alianças de trabalho entre ambas as organizações, assim como "seu empenho mútuo pela paz, prosperidade e harmonia para todos e por um mundo mais justo e igualitário".

O presidente venezuelano recordou ainda que os países do MNOAL e da OIC têm uma história de estreita colaboração e cooperação e compartilham os mesmos princípos, entre eles a preservação e promoção do multilateralismo inclusive, que se entende como "a ferramenta mais efetiva para abordar os desafios globais e emergentes que enfrentamos hoje em dia".

As duas organizações também têm como fundamentos a defesa, promoção e preservação da resolução pacífica das controvérsias, a democracia, e o respeito a todos os direitos humanos e liberdades fundamentais.

O MNOAL e a OIC se opôem "à ameaça ou uso da força contra a integridade territorial e a independência política dos Estados, e o rechaço à imposição de sanções unilaterais", respondendo assim "as disposições da Carta das Nações Unidas e as normas do Direito Internacional e nessa linha com as declarações sobre os princípios dos direitos internacionais referente às relações de amizade e cooperação entre os Estados".

Desenvolvimento sustentável

O presidente Maduro destacou a importância de que a ciência, a tecnologia e a inovação estejam ao serviço das políticas destinadas a erradicação da pobreza e da fome e a favor da paz e do desenvolvimento humano.

O MNOAL propõe "a necessidade de estabelecer um mecanismo global para facilitar a tecnologia, para acelerar a transferência e a difusão da tecnologia em escala global e que se corresponda com o desafio que propõe o desenvolvimento sustentável".

11/09/2017 - 07:39 am