Parlasul defende soberania e autodeterminação da Venezuela

 

Caracas, 22 Ago. AVN.- A XLIX Sessão Ordinária do Parlamento do Mercado Comum do Sul (Parlasul), celebrada nesta segunda-feira em Montevidéu, aprovou uma declaração de repúdio às ações ingerencistas contra a soberania e autodeterminação da Venezuela.

O Parlasul também ratifica a disposição de apoiar o diálogo como via para resolver, com soberania, as diferenças entre o governo bolivariano e a oposição. "Cabe somente ao povo da Venezuela, por meio do diálogo e de forma pacífica, no marco de sua Constituição, encontrar a resolução de seus problemas".

O Palasul manifestou ainda sua disposição de colaborar para a paz do povo venezuelano.

Veja abaixo o comunicado na íntegra:

 

REPÚDIO A QUALQUER OPÇÃO QUE INFRINJA A AUTODETERMINAÇÃO E SOBERANIA DO POVO VENEZUELANO

O Parlamento do MERCOSUL declara e manifesta seu repúdio a qualquer opção que infrinja a autodeterminação e soberania do povo venezuelano.

Defende o direito inalienável do povo venezuelano decidir o seu próprio destino. É inaceitável qualquer ameaça à soberania da Venezuela ou de qualquer outro país irmão latino-americano.

É repudiável qualquer tentativa de intervenção externa nos assuntos internos da Venezuela, especificamente, através do uso da força.

O respeito à soberania, o princípio da autodeterminação e a não intervenção dos países do bloco são elementos fundamentais que o Parlamento do MERCOSUL entende imprescindível reafirmar com determinação e em defesa dos povos do MERCOSUL.

Cabe somente ao povo da Venezuela, por meio do diálogo e de forma pacífica, no marco de sua Constituição, encontrar a resolução de seus problemas.

O Parlamento do MERCOSUL se coloca ao lado de todas as instituições e atores que buscam colaborar com esse esforço do povo venezuelano.

Montevidéu, 21 de agosto de 2017

Fotos: @PARLASUR

22/08/2017 - 07:53 am