Rússia aplaude civismo de eleições regionais e insta a continuar diálogo construtivo

 

Caracas, 18 Oct. AVN.- Os resultados das eleições para governadores são um passo acertado dos venezuelanos para se consolidar ainda mais como sociedade, afirmou nesta terça-feira a chancelaria do governo russo, através de um comunicado.

Em nota, a Rússia celebra a atitude do povo de cumprir com seu compromisso eleitoral em paz, e condenou a atitude de setores da oposição venezuelana que desconheceram os resultados do Conselho Nacional Eleitoral nas 18 dos 23 governos estaduais conquistados pela Revolução Bolivariana.

"A negativa da oposição a reconhecer os resultados da votação, a retomada dos protestos de rua e o fortalecimento das sanções internacionais representam uma carga perigosa. Elas podem "romper" o cenário de compromisso emergente, o que poderia conduzir a uma nova etapa de hostilidades e confrontação", afirmou a chancelaria russa.

Veja abaixo o comunicado na íntegra:

Comunicado da Chancelaria russa sobre as eleições regionais na Venezuela

17 de outubro de 2017

Em 15 de outubro de 2017, foram realizadas na Venezuela as eleições para governadores. Os candidatos do Partido Socialista Unido da Venezuela (Psuv) receberam 17 das 22 cadeiras (ainda não se conhece o resultado no estado de Bolívar).

Partimos de que as eleições celebradas neste país, de cuja importância falaram de forma ativa tanto políticos venezuelanos e estrangeiros, incluídos os opositores ao governo do presidente Nicolás Maduro, estão destinadas a marcar um novo passo para a consolidação da sociedade. Isto é necessário para resolver os assuntos econômicos e sociais inadiáveis que enfrenta o país. A votação aconteceu em geral em um ambiente tranquilo, a participação foi de 61.4%.

Demonstrou-se a adesão da população às formas civilizadas, principalmente eleitorais, como resolução dos desacordos políticos.

Neste contexto, a negativa da oposição a reconhecer os resultados da votação, a retomada dos protestos de rua e o fortalecimento das sanções internacionais representam uma carga perigosa. Elas podem "romper" o cenário de compromisso emergente, o que poderia conduzir a uma nova etapa de hostilidades e confrontação.

Instamos as forças políticas da Venezuela a que se abstenham de ações violentas e de provocação. É imperativo continuar o diálogo construtivo sobre a base das normas democráticas e a legalidade constitucional.

Estamos convencidos de que a tarefa principal da comunidade internacional e regional é ajudar a criar as condições necessárias para uma saída pacífica da crise política interna na Venezuela. É necessário apoiar ativamente as iniciativas de negociação entre o governo e a oposição e não permitir tentativas de interferência destrutiva externa.

Resulta óbvio que a pressão por meio da força e das sanções contra a Venezuela resulta contraproducente.

18/10/2017 - 09:04 am