Transnacionais petroleiras norte-americanas tramam ataque judicial contra Pdvsa

Foto archivo  

Caracas, 19 Mar. AVN.- As transnacionais ExxonMobil e ConocoPhillips preparam uma ofensiva nos tribunais dos Estados Unidos contra Petróleos de Venezuela (Pdvsa), alertou neste domingo o jornalista José Vicente Rangel.

"O cerco e os ataques contra a Venezuela se ampliam e ao mesmo tempo tentam golpear as áreas mais sensíveis da economia e as finanças do país", enfatizou Rangel durante seu programa "José Vicente Hoy", transmitido pelo canal Televen.

Rangel disse que atualmente existe um processo aberto por parte da estadunidense ConocoPhillips, pelo bloco Petrozuata, que produz aproximadamente 120 mil barris diários, com um investimento de US$1,3 bilhão.

Rangel disse que a demanda judicial introduzida por esta transnacional é de US$22 bilhões.

Em maio de 2016, a Venezuela apresentou uma solicitação ao Centro Internacional para Arbitragem de Disputas sobre Investimentos (CIADI) para que reconsiderasse sua posição sobre a sentença emitida em 9 de fevereiro desse ano, no caso apresentado pela ConocoPhillips, após nacionalização de suas participações nas associações da Faixa Petrolífera do Orinoco Hugo Chávez Frías.

O Estado venezuelano propôs que o Ciadi resolvesse em primeiro lugar o pedido de reconsideração e solicitou uma audiência sobre o caso, por considerar que o tribunal havia cometido uma série de irregularidades que ameaça os interesses da República.

A trasnacional não aceitou passar para o esquema soberano de empresas mistas (60% das ações em mãos da Venezuela e 40% para a empresa estrangeira) estabelecido nas leis venezuelanas e também rechaçou seu acordo de participação nos blocos da Faixa Petrolífera do Orinoco em relação à Petrozuata, La Hamaca e Corocoro (agora chamados Petroanzoátegui, PetroPiar e PetroSucre) e decidiu processar a estatal venezuelana desde 2007.

Rangel também disse que a transacional Exxon prepara uma ação judicial vinculada a sua participação no projeto Cerro Negro da Faixa, cuja produção é de 140 mil barris de petróleo diários. Segundo o jornalista, o valor da apelação é de US$7 bilhões.

Em 09 de março o Ciadi revogou a decisão que ordenava a Venezuela pagar US$1,4 bilhão para a ExxonMobil, após processo de nacionalização.

Em nota, o governo nacional celebrou esta justa decisão que declarou procedente a posição da Venezuela sobre a participação da ExxonMobil no Projeto Cerro Negro.

O governo bolivariano, liderado pelo comandante Hugo Chávez, decidiu em 2002 recuperar a plena soberania sobre os recursos petroleiros mediante um marco legal que hoje inclui a criação de empresas mistas, em que Pdvsa tem 60% das ações e o resto é distribuído para a participação das transnacionais petroleiras.

19/03/2017 - 06:52 pm